domingo, 27 de março de 2011

Vidinha miserável!
Me sentia confortável nos últimos meses, chegando a pensar que estava completamente curado.
Doce ilusão! Sem menos esperar, nos defrontamos novamente com aquela maldita cena que nos transporta de volta à realidade.
E é choro, desilusão, rejeição, angústia, vazio, ...
Puxa! Quantos predicados.
Por um tempo, senti-me confortável com a condição de sentir-me curado, mas ao mesmo tempo, vivenciando a angústia de não me reconhecer naquela forma.
É engraçado, pois agora que sofro, me sinto mais próximo de mim.
Sem dúvidas, minha maior angústia borderline é não me reconhecer, não me entender, não saber o que quero ou o que sou. Viver a cada dia com diferentes planos para o futuro, sem nunca concluir qualquer um destes.
É uma dor que não cessa.
Enquanto à rejeição, começa sempre com ideações irreais de desvalia, rejeição que quase todas as vezes fogem à realidade e façam com que soframos, bem como fazemos o outro sofrer.
Sofremos pelo simples fato de razão e emoção estarem em uma constante luta.
Razão nos diz que estamos errados, que talvez o que pareça ser, não seja.
Emoção por sempre nos confundir dizendo uma verdade que queremos acreditar.
"Sim! Fui traído."
"Sim! Ele (a) me odeia."
"Sim! Sei que sou feio."
E nos perdemos entre razão e emoção. Afinal, em que devemos acreditar?
Há sempre uma constante angústia na arte do amor.
Uma incessante dúvida: Ao passo que desejo ardentemente ter alguém que me ame, esteja junto comigo e me entenda, afasto as pessoas por não me sentir confortável em um relacionamento, chegando mesmo a inibir a vinda do outro.
Sou chamado por todos aqueles que já passaram pela minha vida como o garoto problemático, imaturo, indecente ou mesmo chato.
O que não entendem é que por baixo de toda esta máscara, todas estas defesas que levanto são para aproximar, são gritos desesperados, são como apelo ao outro para que fique. Talvez uma maneira infantil de dizer que estejam comigo, que me amem.
Não sei como demonstrar amor, carinho.
Não foi assim que aprendi, mas foi assim que me criei.
Porque eu?

Um comentário:

♥ Evelin Pinheiro ♥ disse...

Caraca.... parece que vc leu minha postagem de hj antes de escrever a sua!
Será um surto???? rsrsrs

Passa lá!

beijO*-*
http://evesimplesassim.blogspot.com/

Ocorreu um erro neste gadget