sexta-feira, 4 de março de 2011

Saudades!!

Nossa, que saudade me veio neste momento.
Saudades de um tempo bom que já se foi.
Saudades de ser um adolescente inconsequente, sem juízo ou responsabilidades.
Saudades de ir àqueles saudosos shows de bandas alternativas do circuito underground de Goiânia.
Saudades do bom e velho Cererê...das bandas antigas que parecem já não possuir o mesmo talento de antes.
As vezes imagino que talvez tais bandas ainda sejam igualmente boas àquele período, apenas cresci e dei-me conta de outras possibilidades. As vezes imagino que cresci e deixei/abandonei todas aquelas coisas que tinham tanta importância e faziam todo um significado para mim. Quantos sonhos, quantas ideologias, inspirações, toda a rebeldia que circundava este período.
Engraçada a forma como meses atrás voltei ao Cererê e tudo parecia tão perdido de meu tempo, tão desconexo. Um lugar antes referência no movimento punk de Goiânia, hoje tornou-se de crianças purbas, emos, coloridos e outras tantas tribos que parecem ter se refugiado naquele local que carrega uma grande história ideológica e ativista.
Foi realmente chato ver aquelas crianças se atrelando umas nas outras e imaginar cinco anos a frente o futuro de tais. Talvez os jovens de hoje estejam realmente mais desenvolvidas que as de meu tempo.
Mas tanto faz, talvez sejam estas questões que não me digam respeito. Mas foi muito chato ver parte de toda uma história ser esfacelada. Sinto-me como se parte de mim houvesse ficado naquele lugar, nas ideias que tinha naquele tempo, nas paredes que cercam aquele teatro.
Parece que muita coisa se perdeu com o tempo, e eu me renovo a cada dia. Como se eu não fosse o resultado de uma vida e suas vivências, mas resultado de uma última semana. Fui me transformando em outros que eu mesmo desconheço. Talvez isso seja consequência deste transtorno, talvez eu seja apenas nostálgico...não sei quais são minhas atuais motivações.
Acho que com o tempo eu me perdi...não sei como me encontrar.
Queria mesmo voltar ao passado e viver novamente tudo aquilo que achava ter vivdo em sua plenitude.
Como me enganei!

Um comentário:

♥ Evelin Pinheiro ♥ disse...

Poxa... adorei esse texto!
Também tenho textos sobre saudades. É uma certa nostalgia que bate de vez em qdo... procure lá no meu blog no campo de pesquisa essas postagens. Acho q vais gostar!
Vou te seguir e colocar nos prediletos. Estarei sempre aki!
BeijO*-*
http://evesimplesassim.blogspot.com

Ocorreu um erro neste gadget