sábado, 12 de junho de 2010

Dia dos namorados.

Não sei o que escrever.
Estou sozinho. E antes o meu rodízio surtia tanto efeito, agora estou só.
Todos os meus antigos amores se afastaram de mim e alguns de um modo tão cruel e nada amigável.
Não quero ficar sozinho. Tenho medo de ficar só.
Preciso do outro para validar meus sentimentos. Preciso do outro e não quero esperar pelo outro.
Fantasio sobre o conto do príncipe encantado. Mas acho que nunca o encontrarei. São apenas sonhos.
O triste é saber que ninguém nunca estará a altura daquilo que devaneio.
O mundo é cruel e esta data consolida apenas meus sentimentos de destruição.
Haja cigarros, vodka para sustentar minha sanidade.
Quero morrer. Uma vez que ninguém me ama, que me cabe neste mundo?
A vida foi tão injusta comigo. E não me culpem por me sentir desta forma.
Assumir o papel do "coitado" sempre me coube tão bem.
Mas são apenas fórmulas que crio para me dar com a realidade. A compaixão não nos dá resistência, mas mostra ao outro nossa lamentável condição para que assim possamos atingir ajuda.
Quero morrer. Ter overdose, coma alcoolico ou qualquer outra coisa que me tire desta órbita maldita.
Tenho evitado dormir, já que os sonhos remontam uma história feliz que nunca vivi.
Estou cansado de viver.
Cansado de sempre ser tão só.
Ocorreu um erro neste gadget