segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Ham...muito, realmente a muito tempo sem escrever.
palavras parecem querer sair meio tímidas.
Ultimamente (últimos 15 minutos) não sei o que vem acontecendo comigo.
Sinto-me só, sinto-me mal comigo mesmo. De repente, todos aqueles que pareciam futuros amantes tornaram-se tão distantes até mesmo de um breve coleguismo.
Não sei qual o problema dos outros, ou mesmo qual seja o meu problema.
Um sentimento de abandono com uma tristeza quase crônico que consome a alma.
Parece um tanto blasé me expressar desta forma, mas é nítida esta forma como me sinto. Como uma maldita alucinação tátil. Me sinto sendo constantemente consumido por esta sensação.
Ham..é realmente mto difícil de compreender tais questões.
Pareço entender perfeitamente a origem de tais sentimentos, mas me sinto extremamente tímido para divulgá-los, ou medo mesmo de parecer um tanto idiota.
Sou realmente tão repugnante de modo que não valha a pena sequer ser visto? Conquistado?
Talvez algum dia eu me torne amado por alguém? Ou talvez ame algum dia?
Não gostaria de esperar mais um dia, uma hora ou minuto. Tenho pressa, quase desespero.
Quero (praticamente exijo) tantas coisas. Seria este o motivo de talvez nunca haver estado com alguém antes? Ou mesmo sequer ter verdadeiramente amado outros antes?
Sinto paixões, paixões avassaladoras. Paixões que acabam em semanas, dias, horas, minutos, e mesmo segundos.
De fato nunca amei. Mal posso esperar para isto.
Quero sofrer, sentir ciúme, sentir raiva, tesão, alegria, esperança...coisa das quais nos tornam vivos.
Sempre entrar no MSN tem se tornado uma experiência tão dolorosa.
Ver todos aqueles, vítimas de minhas paixões e testemunhar seus descasos, suas indiferenças.
"Será que e vêem em sua janela de contatos?" "Será que se seguram para não virem falar comigo?" "Será que sequer pensam em mim?"
Mas um sentimento, uma energia hostil me possui, e vejo que todos os meus sonhos tornam-se novamente frustrados. "Não! Nem por um segundo pensaram ou lembraram-se de mim."
O que poderia fazer? Nesta vida assumi tão detestável forma com tamanhos (detestáveis) problemas que por vezes me impulsionam/inibem uma ação planejada. Explodo e sufoco.
Acabo com minhas próprias chances, uma vez que tenho a mim mesmo como meu maior inimigo.
Não sei o que fazer. Sinto novamente que quero morrer.
Porque este é um sentimento tão comum é real? Sempre tão contraditório. Sempre tão evasivo.
Quero simplesmente amar. Digo (pelo contrário), quero que amem de uma forma pura e sincera. Que amem verdadeiramente, e veja nas ações mais tolas ou pueris um reforço à primeira chama.

Ocorreu um erro neste gadget