sábado, 9 de maio de 2009

Confissões.

Estou angustiado.
Sinto dor, tristeza e mágoas, o motivo pelo qual ainda não sei. Tanto faz.
Meu espírito é velho embora esteja em um corpo tão jovem.
Ultimamente passei por coisas terríveis, embora não sejam para muitos de vocês.

Algumas pessoas lembram de seu primeiro beijo, a primeira transa, o primeiro namorado, o primeiro porre, a primeira viagem com os amigos. Não me recordo de nada disso.
Minha mente está vazia, e sequer um sorriso estampa meu rosto.
Coisas banais como estas antes descritas marcam a vida de uma pessoa; coisas estas que não me lembro.
- Quando foi o meu primeiro beijo?
- Nunca tive um namorado em toda a minha vida; sempre solitário.
- Dentre tantos copos já virados, qual deles foi o primeiro?
- Não, já não sei se tenho amigos.

Ultimamente só tenho dormido para passar tamanha dor, para sufocá-la.
Talvez escrever seja uma forma de retirá-la de mim, de exprimi-la, talvez tenha nisso um propósito terapêutico.

A tempos atrás experienciei algo que nunca havia passado antes. Tive o meu primeiro surto psicótico. Esta é a única lembrança que carrego comigo.
Complexa cognição a que se recorda somente de fatos tristes e abstrai momentos felizes. Porque?

Minha família toda preocupada ao ponto de se desfazer, minha psiquiatra que me indicou pra uma psicóloga, remédios e conselhos que dizem que eu não posso mais sair sozinho pelo período de estabilização destes surtos, não posso dirigir, não posso beber ou fumar pois estes aumentam a ansiedade.
Uma vida restrita e incomparavelmente aflitiva. Seria melhor a morte?
Sim, esta tem sido muito pensada ultimamente.
Eu não amo a minha existência. Sempre projetei este papel a outros, e todos falharam neste processo.
Mas como poderiam se sempre fico em esquiva?

Sinto que meus amigos estão me virando as costas... Alguns tem vergonha, outros somente me recriminam. Diziam-me que amigos dá-se para contar nos dedos de uma mão, mentira!
Eles não existem, são colegas, conhecidos com os quais divido experiências.
Talvez esteja sendo um tanto equivocado, mas até que me provem o contrário.
Sou realmente tão frustrado?
Porque nunca ninguém me amou nesta vida?
Qual o meu problema? Sou assim tão repulsivo?

2 comentários:

Adm. Marcelo Leite disse...

Vc se expressa muito bem ^^
Parabéns

Mr. Andrógyni-# disse...

Mto bom o texto, mas lamento pelos seus amigos, é triste isso mesmo, mas acho estar errada em dizer não existam verdadeiros, pois há sim, sempre tem uns 2 ou 3 que prestam !!!!

http://dupladameianoite.blogspot.com/

Ocorreu um erro neste gadget